Início Notícias Assustadoras ‘Chifre de Dragão’ cresce nas costas de homem durante 50 anos

‘Chifre de Dragão’ cresce nas costas de homem durante 50 anos

por Mundo Sombrio
0 comentário 220 visualizações
chifre de dragão nasce nas costas de um homem

Um crescimento de pele amarelo-acastanhado nas costas de um homem tomou proporções tão massivas que se assemelhava ao chifre de um dragão gigante quando os cirurgiões finalmente o tiraram.

O chamado ‘chifre de dragão’ começou humildemente como uma lesão áspera e escamosa que apareceu pela primeira vez no meio das costas de um homem há 50 anos atrás, de acordo com descobertas publicadas online na edição de dezembro de 2019 da revista BMJ Case Reports.

Nos três anos seguintes, o pedaço de pele endurecida foi crescendo progressivamente. Eventualmente, formou uma estrutura grossa, curva, semelhante a chifres que se estendia quase até a cintura do homem; no momento de sua remoção, o tamanho mediu 140 milímetros de comprimento e mais de 60 mm de largura, atingindo pouco mais de 55 mm de espessura.

Os “chifres” cônicos como estes, também conhecidos como chifres cutâneos, consistem em queratina compactada e são mais comumente encontrados em pacientes de 60 a 70 anos de idade, de acordo com o site de dermatologia DermNet NZ. Embora os chifres cutâneos possam se formar em qualquer lugar do corpo, eles normalmente aparecem em lugares que são expostos ao sol, como a cabeça e as orelhas, as costas das mãos e os antebraços.

Chifres cutâneos são geralmente pequenos, mas alguns – como o chifre traseiro recentemente extirpado – podem atingir proporções surpreendentes. Um exemplo famoso, preservado e exibido no Museu Mütter do Colégio de Médicos da Filadélfia, mede aproximadamente 20 centímetros de comprimento e foi removido de uma mulher de 70 anos e doado ao museu na década de 1940.

30 SkinHorn 0
Chifre Cutâneo humano preservado e exibido no Museu Mütter do Colégio de Médicos da Filadélfia

Outro chifre humano na coleção do Museu Mütter é exibido em uma figura de cera que foi esculpida a partir de um modelo vivo. Este chifre pertencia a uma francesa do século XIX conhecida como Madame Dimanche, e a estrutura mediu quase 25 cm de comprimento.

Leia Também:  Assista o tão esperado Trailer de Annabelle 3: De Volta Para Casa

Os crescimentos semelhantes a chifres são frequentemente associados ao câncer de pele, e em quase 16% desses casos, o câncer é maligno, de acordo com o relatório do caso. No caso atual, depois que os cirurgiões removeram-no, eles fecharam a ferida com um enxerto de pele da coxa do homem. Quando examinaram a massa, identificaram carcinoma espinoso celular, um tipo de câncer de pele causado pelo crescimento descontrolado de células que compõem a epiderme, a camada mais externa da pele.

Embora o paciente não tivesse histórico familiar de câncer de pele ou histórico pessoal de exposição excessiva ao sol, ele tinha pele clara e era fumante, o que o colocou em um grupo de maior risco para desenvolver um crescimento maligno, segundo o relatório.

O chifre de dragão provavelmente cresceu muito porque seu dono deixou de tratá-lo por vários anos, embora ele vivesse “em um país desenvolvido com acesso a cuidados de saúde gratuitos”, observaram os autores. A cirurgia para remover o chifre do homem ocorreu no Reino Unido.

Escreveram os autores do relatório:

“Isso destaca que, apesar da atual conscientização pública sobre o câncer de pele e medidas rigorosas de atenção à saúde, casos como esse ainda podem surgir e aparecer pela rede”.

Originalmente publicado no Live Science.

Você também pode Gostar

Deixe um Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Alert: Esse conteúdo está protegido!