Início Histórias de Terror Dois de Novembro [História de Terror]

Dois de Novembro [História de Terror]

por Mundo Sombrio
0 comentário
dois de novembro história de terror

Certo dia, um casal abandona uma linda menininha na casa de uma conhecida, o que acontece no final é de surpreender. Vale a pena ler a História de Terror “Dois de Novembro”.

Esse diário velho agora pertence a você, minha filha. Leia atentamente, pois tudo que está aqui é a mais pura verdade.

Desde minha doença, não canso de escrever e reviver o momento em que peguei você pela primeira vez nos braços.

Meu amor, preste bastante atenção. Há um segredo muito importante nesse caderno velho.

Eu não te dei à luz.

Há alguns anos atrás, eu conheci um casal adorável que me entregou você, linda menininha.

O casal era um amor. Mas, todas as vezes que os via, eles estavam com as mesmas roupas antigas e olhares perdidos. Até que, no dia dois de novembro, eles vieram à minha casa pela última vez com você nos braços.

Estavam pálidos e não quiseram entrar ou ir até a pizzaria onde eu os levava. Apenas deixaram você comigo e foram embora.

Sinceramente, eu não fiz perguntas! Tive medo que estivessem drogados e tivessem te abandonado comigo. Mas e depois? O que eu faria com um bebê que pudesse ter sido roubado? Por ter ficado muito preocupada, resolvi segui-los!

Isso que vou lhe contar agora me assombra até hoje!

Eu os persegui, virei esquinas e me perdi com você pequenina no meu colo.

Até que, no final do bairro, os vi entrando em um cemitério. Achei que fosse para usar drogas, mas não, não! Eu estava enganada.

Assim que entrei naquele lugar, os dois desapareceram como fumaça e, na lápide ao fundo, pude ver a fotografia no túmulo: Era do casal!

Leia Também:  A Menina da Lacuna [História de Terror]

Não entendo como ou o porquê, mas você minha filha, é um milagre.

Você também pode Gostar

Deixe um Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Alert: Esse conteúdo está protegido!