Isso aconteceu comigo lá por volta dos anos 90. Nessa época, eu tinha 12 anos de idade quando isso aconteceu e fui passar um tempo com minha avó que morava em Abaetetuba, enquanto minha casa entrava em reforma.

Certa noite eu, já pronta para dormir, indo para minha cama, percebi que minha avó andava dormindo com seu rádio de pilha ligado bem alto todas as noites.

Então perguntei à ela o porque de ela não desligar o rádio para dormir. Minha avó me olhou séria e disse:

“Eu gosto de dormir com o rádio ligado e não pergunte mais nada!”

Todas as noites minha avó dormia com o rádio ligado, sem descanso. Eu já não conseguia mais dormir. Em uma dessas noites eu, cansada de tudo aquilo gritei:

“Espero que essa pilha acabe!”

Então, de repente, o rádio parou de funcionar. Vovó me olhou braba e disse e disse:

“Tá vendo!? Aconteceu o que você queria! Agora vá dormir, e o que você escutar de noite, não vá olhar!”

“Tá bom vó”, respondi me ajeitando na cama e me pus a dormir.

Já era bem tarde quando eu escutei pessoas murmurando bem baixinho. Me levantei e fui olhar pela grade para ver o que era.

Foi quando me deparei com um monte de pessoas de preto, caminhando da rua, homens e mulheres.

Algumas pessoas daquele grupo, olhavam para mim bem nos seus olhos! Elas tinham os olhos brancos e uma cara de vida sofrida!

De repente, minha avó me puxou pelo braço e disse:

“Eu te falei para você não vir olhar! Agora vá dormir!”

Confesso que fiquei muito assustada.

No dia seguinte, minha avó não quis falar sobre o ocorrido na noite anterior. Com a reforma acabada, eu voltei pra casa.

Depois de anos, já adulta, eu voltei à casa de minha avó, e perguntei o que seria aquilo que eu tinha visto naquela noite quando criança. Ela meio que desconversou dizendo que era coisa da minha cabeça, mas depois, olhou sério para mim e disse:

“Era uma procissão de pessoas mortas! Precisavam de preces! Por isso minha neta, eu aumentava o radinho, para não ter que escutar aqueles lamentos. Me davam medo!”

A partir daí, compreendi tudo o que acontecera naquela temporada em Abaetetuba, quando eu tinha doze anos.

E aí, o que você achou dessa Historia de Terror? Até eu fiquei com medo! Vou ligar meu radinho! Deixe sua opinião aí nos comentários! Abraços Sombrios.

→ Leia as Melhores Historias de Terror Aqui


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *