O Íncubo [História de Terror]

Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no tumblr

Não me lembro ao certo a última vez que tive um encontro. Tentei alguns aplicativos de relacionamento, pedi para meus amigos me apresentarem as amigas e até parentes das namoradas e nada dava certo. Não sei porque, mas eu sempre dizia algo que afastava as pessoas de mim. Obviamente, não era intencional.

Cansado de procurar amores, resolvi buscar prazeres. Há cerca de dois meses, uma casa noturna foi inaugurada no centro da cidade. Até então, eu não tinha o menor interesse, mas dadas as circunstâncias; por que não?

Sempre achei uma bobagem pagar para transar. Afinal, essa é a prova de que você não tem capacidade para encantar ou seduzir uma pessoa. Mas como eu disse, dadas as circunstâncias, eu não tinha outra escolha. Eu precisava ter um pouco de prazer. Fui à casa noturna, ficava próxima à um bar chamado “Azul Cobalto”. Ao entrar no recinto, fiquei sem reação. Eu nunca havia pisado num lugar assim. A primeira vista, foi impactante, confesso; mas depois relaxei e comecei a curtir.

Depois de assistir alguns shows, fui até uma garota para conversar. Ela colocou o dedo indicador entre os meus lábios, como se quisesse fazer eu calar a boca. Apenas parei de falar. Ela me puxou pela gola da camisa e me levou até um quarto. Ficamos cerca de quarenta minutos lá e então, pude entender porque algumas pessoas pagam por sexo. Foi incrível.

Dias após aquela noite de bebidas, strip e sexo, eu ainda pensava naquela garota que me atendeu. Eu mal lembrava de sua voz, seu rosto estava maquiado e com gliter, pouco pude ver. Mas seu corpo era incrível. Desajeitado com mulheres e com baixa autoestima, eu nunca conseguiria uma garota como ela.

Jamais uma mulher com aquele perfil me notaria, então, decidi voltar a casa noturna. Muitas mulheres bonitas trabalhavam lá, mas a que me atendeu tinha algo diferente. Sempre depois do sexo, ela me dizia coisas positivas, fazia eu enxergar além da beleza. E com isso, ela se tornava mais linda aos meus olhos.

Leia Também:  O Catálogo [História de Terror]

Certa noite, enquanto dormia, eu senti alguém em cima de mim. Eu não conseguia abrir os olhos. Mas pude ouvir. Era a garota da casa noturna. Senti seus lábios me beijando, suas mãos tocando meu corpo… Mas havia algo errado. Ela não sabia onde eu morava. Comecei a sentir frio. Era como se meu corpo congelasse. Não consegui respirar direito. As unhas da garota pareciam cacos de vidro atravessando minha pele. Sua respiração gelada deixou meu quarto ainda mais frio. Finalmente pude abrir os olhos. Com toda minha fé desejei estar sonhando, mas a garota realmente estava em cima de mim.

Ela me olhava, mas o resto do seu corpo estava virado na direção contrária. Quando tentei gritar por socorro, seu corpo girou em cima do meu. Sua pele começou a enrugar, seus cabelos caíram em cima de mim, seu rosto se desfigurou. Parecia que seu corpo era formado por pele de diferentes mulheres. Tentei a todo custo sair da cama, mas ela não deixava. Ela insistia em ficar em cima de mim. Aquela criatura me beijava, me tocava e o pior é que mesmo sendo algo medonho, eu ainda sentia prazer. Na minha última tentativa de sair da cama, aquele ser colocou seu dedo indicador entre os meus lábios e depois enfiou na minha boca. Depois disso, apaguei.

No dia seguinte, ao acordar tudo estava normal. Com um grande alívio percebi que o que acontecera na madrugada anterior não passava de um sonho.
Ao entrar no banheiro para escovar os dentes, vi o reflexo da criatura através do espelho. Virei rapidamente para ter certeza que o que estava lá era real. Não enxerguei nada. Abri a torneira para lavar o rosto e ao olhar para o espelho mais uma vez, notei que minha boca estava costurada. Em choque, gritei o mais alto que pude e a costura foi se espalhando pelo meu rosto. Minha pele estava sendo retalhada. Eu não conseguia entender o que estava acontecendo.

Leia Também:  Zoom [História de Terror]

A dor era imensa, mas eu não podia gritar. Quanto mais eu gritava, mais meu rosto era desfigurado. Fechei os olhos para suportar a dor e quando os abri novamente, eu estava deitado na minha cama com frio, sem a costura na boca, com o meu rosto intacto e ouvindo vozes, sussurros e gemidos, na verdade.

Quanto eu mais prestava atenção nas vozes, mais delas surgiam, então tentei ignorá-las, e a cada voz ignorada eu era sugado pela minha cama. Eu perdi a noção do que era ou não real. Então, numa tentativa desesperada de voltar a realidade, resolvi prestar atenção em apenas uma voz; era uma voz feminina.

Ela sussurrava e gemia de prazer. Tentei ouvir com mais atenção e fui tragado por essa pessoa que sussurrava e me colocou em seu quarto, na sua cama, em cima dela. A mulher estava num sonho. Ela sentia prazer nesse sonho e eu estava dando prazer à ela.

Ela tinha um grande espelho perto da cama; e enquanto eu levava prazer a essa mulher, reconheci meu corpo refletido no espelho. Eu realmente estava lá, transando com uma pessoa que nunca vi enquanto ela dormia. Ao tentar dizer algo para essa pessoa, senti um desconforto em minhas mãos e percebi que a mulher tentava acordar. Assustado, tentei me concentrar nas outras vozes para voltar pra minha casa, mas foi em vão. Então, com que espanto vi meu rosto desfigurado, com a boca costurada e meu corpo retorcido ser refletido no espelho daquela coitada que sonhava comigo.

Outros Posts

Ganso [História de Terror]

Em “Ganso”, você conhecerá a história de um homem bom que, ao ver-se necessitado, acaba por mudar completamente seu destino por causa de uma ação impensada, ou não. Por volta de 1530, em uma vila

Leia Mais

O Nego D’água [História de Terror]

Quando mais jovem, eu morava no estado de Goiás em uma pequena cidade do interior. Meu primo, eu e alguns amigos, pegávamos nossas bicicletas e “explorávamos” fazendas da região durante as nossas férias escolares. Só

Leia Mais

Sr. BocaLarga [Creepypasta]

Durante minha infância, minha família era como uma gota d’água em um grande rio, nunca ficava no mesmo lugar por muito tempo. Nós nos estabelecemos em Rhode Island quando eu tinha 8 anos, e lá

Leia Mais

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Pesquisa