Mestres do Terror

o corvo história de terror edgar allan poe mundo sombrio

O Corvo

Numa meia-noite agreste, quando eu lia, lento e triste,Vagos, curiosos tomos de ciências ancestrais,E já quase adormecia, ouvi o que pareciaO som de alguém que batia levemente a meus umbrais.“Uma visita”, eu me disse, “está batendo a meus umbrais.É só

o gato preto história de terror edgar allan poe mundo sombrio

O Gato Preto

Não espero nem peço que se dê crédito à história sumamente extraordinária e, no entanto, bastante doméstica que vou narrar. Louco seria eu se esperasse tal coisa, tratando-se de um caso que os meus próprios sentidos se negam a aceitar.

o barril de amontillado história de terror edgar allan poe mundo sombrio

O Barril de Amontillado

Suportei o melhor que pude as injúrias de Fortunato; mas, quando ousou insultar-me, jurei vingança. Vós, que tão bem conheceis a natureza de meu caráter, não havereis de supor, no entanto, que eu tenha proferido qualquer ameaça. No fim, eu

o festival h. p. lovecraft mundo sombrio

O Festival [H. P. Lovecraft]

EU ESTAVA LONGE de casa, e o feitiço do mar oriental havia caído sobre mim. Ao crepúsculo, eu o ouvia batendo nas rochas e sabia que ele ficava logo depois do monte onde os salgueiros se contorciam contra o céu

o horror no museu h. p. lovecraft mundo sombrio

O Horror no Museu [H. P. Lovecraft]

Foi apenas curiosidade o que levou Stephen Jones ao Museu Rogers pela primeira vez. Alguém lhe falara a respeito do estranho lugar subterrâneo na Southwark Street, do outro lado do rio, onde criaturas de cera muito mais horrendas que as

a coisa no umbral h. p. lovecraft mundo sombrio

A Coisa no Umbral [H. P. Lovecraft]

Morgan não é um literato; na verdade, ele mal consegue falar inglês com algum grau de coerência. É isso o que me faz estranhar as palavras que ele escreveu, embora outros tenham gargalhado. Ele estava sozinho na noite em que