O Monstro no Armário

Juliana sempre gostou de viajar sozinha. Acreditava que aproveitava melhor suas viagens quando estava só.

No fim do ano passado, alugou o apartamento de um senhor mal encarado em São Paulo para ver a tradicional queima de fogos. Juliana pouco ficava no imóvel. Na verdade, o usava apenas para dormir e tomar banho, porque aproveitava cada momento de suas férias. Café da manhã, almoço e jantar eram fora. Não queria ter o trabalho de cozinhar estando à passeio.

Na véspera de ano novo, esbarrou com seu vizinho de porta. Ela tentou puxar conversa, mas acabou intimidando o rapaz, que entrou para o apartamento.

Depois de curtir a véspera da virada numa balada, Juliana voltou para o apartamento para tomar banho e dormir. Assim que entrou no banheiro, percebeu que o frasco do seu shampoo estava no chão, mas não deu importância, afinal, poderia ter caído sozinho.

Ao se deitar, notou que o lençol não estava estendido da mesma maneira que antes, mas não tinha certeza, além do que, estava alcoolizada e com muito sono.

Enquanto dormia, Juliana sonhou que estava sendo perseguida. Sempre que viajava ela tinha esse tipo de sonho. Mas dessa vez era mais intenso. Seu perseguidor conseguiu tocá-la. Tentou tirar suas roupas e beijá-la a qualquer custo, mas não conseguiu.

No dia seguinte, Juliana acordou assustada por causa do pesadelo; tomou um banho demorado para relaxar e curtir seu penúltimo dia em São Paulo, pois voltaria pra casa na manhã seguinte. Ao sair do banho, abriu a gaveta da cômoda para pegar uma calcinha. Ao vestir, sentiu algo molhado e rapidamente tirou. Ela não sabia o que era aquilo. Não tinha certeza se era saliva ou algum dos seus cremes que caiu em cima de sua peça íntima, então, procurou uma peça seca para se vestir e depois de pronta, saiu.

Por volta das 23:50, já de volta ao apartamento e ansiosa para ver a queima de fogos de sua sacada, Juliana ouviu um barulho no armário do quarto, que era usado como guarda-roupas. Acreditando ser um rato, pegou uma vassoura para espantar o roedor. Quando abriu o móvel, não acreditou no que viu. Seu vizinho de porta estava lá dentro, sem camisa, usando apenas uma bermuda. Ele acariciava o próprio mamilo com uma mão e com a outra, tocava suas partes íntimas por dentro da bermuda.

Juliana entrou em desespero. Aquele rapaz tímido com quem tentara conversar, na verdade era um monstro. O perseguidor de seus sonhos que a tocou e beijou enquanto dormia. Tomada pela repulsa e necessidade de se defender, Juliana agrediu o rapaz que tentou revidar batendo em seu rosto.

Juliana tinha certeza que poderia ser seu fim, então gritou desesperadamente por socorro, mas já era meia noite e a queima de fogos havia começado. O som dos rojões e fotos de artifício calaram os gritos da turista, que sabia que teria que matar para não morrer; correu até a cozinha e pegou uma faca. Seu agressor tentou intimidá-la, mas foi apunhalado diversas vezes e tentou fugir, mas foi impedido por Juliana, que transformou o predador em presa.

Já sem forças e ensanguentado, o agressor foi até a sacada numa tentativa inútil de pedir ajuda. Juliana viu o desgraçado vulnerável e resolveu acabar com o que a atormentava de uma vez por todas. E com que prazer e alegria Juliana viu a queima de fogos enquanto empurrava seu perseguidor do décimo andar!

Leia Mais Histórias de Terror Assustadoras
COMPARTILHE ESSE POST
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
ritual macabro história de terror mundo sombrio
Ritual Macabro

Já era noite quando quatro amigos chegaram à uma cabine nas montanhas geladas de Montana

enfeites de halloween história de terror mundo sombrio
Enfeites de Halloween

Enfeites de Halloween é uma história de terror sobre um jovem que bate seu carro em uma área deserta e procura ajuda em uma antiga casa em ruínas.