O Regime

A História de Terror “O Regime” conta a história de um casal onde, a mulher, obcecada por magreza e muito gananciosa, resolveu fazer algo terrível com seu marido para que pudesse chegar aos seus objetivos.
o regime história de terror

O cheiro da comida invadia a sala. João e Maria assistiam a um filme na televisão. Quando João sentiu o aroma, disse:

– Estou morrendo de fome, querida. Hoje não vai ter comida de novo?

– Não! Eu estou de regime. Preciso perder 15 quilos.

– Mas eu não estou de regime. Sempre fui pele e osso.

– Você tem que ser solidário. Não quer me ver magrinha e gostosa? Causar inveja aos seus amigos?

– Estou passando fome e eu adoro comer e todo dia o cheiro da comida da Miriam entra na nossa casa. É muito sofrimento! Prefiro você assim, gordinha e eu bem alimentado.

– Nada disso! Comecei e vou até o fim. Apostei com Marli e a Creuza. Quem perder 15 quilos primeiro ganhará cem reais das outras. Eu quero perder peso e ganhar esses duzentos reais.

– Posso ir até a esquina e comprar um churrasco, ou uma pizza? Comerei escondido de você. Eu juro!

– Não! Você tem que sofrer comigo. Vamos para a cama. Quero perder algumas gramas fazendo amor.

– Eu estou muito fraco. Você não tem percebido que ultimamente eu não tenho dado conta do recado. Canso e logo durmo. Estou trabalhando demais e me alimentando muito mal.

– Não quero nem saber. Você é homem e tem que me satisfazer. Eu não me importo em fazer tudo. Basta que ele fique pronto. Vamos!

– Preciso me alimentar.

Foi até a cozinha e ficou triste quando viu a geladeira vazia. Voltou para o quarto e a esposa já estava dormindo. Saiu, foi até a pizzaria e comeu rapidamente uma pizza quatro queijos.

Voltou, deitou-se e dormiu também. No outro dia, quando acordou teve uma surpresa horrível.

– O que é isso?! Você ficou louca?! – Ele gritou.

– Não.

– Então me desamarre da cama! Preciso trabalhar!

– Só se você prometer uma coisa?

– O quê?

– Fazer regime comigo.

– Passar fome com você?

– Se você prefere ver as coisas assim.

– Não! Me solta!

– Não!

– Tá bom, eu faço regime com você. Me solta.

– Não acredito mais. Ontem você saiu e comeu na pizzaria. Vai ficar amarrado até que eu termine o meu regime.

– Você ficou louca!? Preciso trabalhar!

– Meu trabalho será suficiente.

– Vou perder meu emprego e não está fácil arrumar um!

– Eu sei. Se você se comportar, quando eu perder os quinze quilos, eu soltarei você e sustentarei a casa com o meu trabalho pelo tempo que for preciso para você arrumar outro emprego.

– Ficar sem comer afetou o seu juízo?!

– Talvez, mas você verá que valerá a pena.

– Me solta, senão eu vou gritar!

Antes que ele começasse a gritar, Maria colocou uma fita colante sobre sua boca. Ele se retorceu na cama, mas estava muito bem amarrado. Então, ela saiu do quarto e ele ouviu as portas sendo fechadas. Ouviu a vizinha cantando. Sentiu o cheiro da comida dela. Retorceu o corpo, mas nada conseguiu. Muito tempo depois, a esposa volta ao quarto.

– Amor! Cheguei! Já perdi dois quilos e elas só um. Logo vou poder soltar você. Boa noite. Ah, liguei para o escritório e disse que você precisou viajar urgente para Salvador porque sua mãe está muito doente e que você só voltará quando ela se recuperar. Sei que sua mãe já morreu, mas eles não sabem. Talvez assim você não perca o emprego. Boa noite.

João a via todos os dias entrando no quarto e dizendo quantos quilos havia perdido. Já não tinha mais ideia de quanto tempo fazia que estava preso. Um grande sono e moleza tomavam conta de seu corpo.

Dormia, dormia, dormia. Só acordava quando ela chegava da rua e lhe dava água e uma sopa rala através de um canudo que introduzia através da fita colante. O tempo passava e João tinha certeza que morreria antes de Maria perder os quinze quilos. Seu raciocínio estava lento. Não pensava mais. Apenas um grande ódio crescia dentro dele e este ódio o alimentava diariamente para que pudesse sobreviver.

– João, acorda, João! Consegui! Perdi quinze quilos e ganhei os duzentos reais. Vou soltar você. Veja como eu estou magra e gostosa. Todos os homens mexem comigo na rua agora.

Ele não a ouviu. No decorrer dos dias ela o alimentou com sopas. João recobrou, pouco a pouco, as suas forças. Já conseguia andar se amparando nos móveis. Via Maria quando ela chegava do trabalho feliz e magra, mas seu ódio só crescia.

Numa quinta-feira, Maria estava assistindo televisão, a vizinha cantava e o cheiro da comida que ela cozinhava invadia a casa. João, silenciosamente chegou por trás dela e deu uma, duas marteladas na cabeça da mulher. O sangue jorrou e o corpo caiu ao chão. João a arrastou até o banheiro e colocou-a dentro da banheira e, com uma faca afiada, cortou o corpo em vários pedaços. Separou as carnes e colocou tudo no freezer.

No dia seguinte, sexta-feira, tirou vários pedaços do freezer, colocou-os na geladeira para descongelar e foi trabalhar. Durante o trabalho ele convidou seus amigos para que fossem almoçar no sábado lá na sua casa. Ia ter feijoada à moda do João.

No sábado, começou a preparar as carnes. Colocou pedaços da coxa e dos braços em assadeiras e começou a assá-los. Fritou nacos de carne das nádegas. Preparou batatas cozidas com carne da batata da perna, arroz com pedaços da língua e das orelhas, feijão com carne dos seios e salada de legumes com pedaços do nariz. A Feijoada tinha, além da carne de porco, vários pedaços dela e os dedos sem as unhas. Os amigos começaram a chegar trazendo cervejas, batidas, pingas. A alegria tomou conta da casa. O forró animava os convidados que comemoravam o retorno de João.

Todos se sentaram à mesa. A vizinha, Miriam, o marido e os dois filhos também compareceram.

Então alguém perguntou:

– João, onde está Maria?

– Viajou às pressas para o Norte e não sei ainda q uando volta. Passe a caipirinha para mim por favor?

Todos comeram e beberam até se fartarem e saíram elogiando o almoço preparado por João.

Quando a festa acabou e todos já estava indo embora, o vizinho chega perto de João e diz:

– A carne estava muito gostosa!

– Eu sei! – João respondeu.

E aí, o que achou da História de Terror “O Regime”? Deixe sua opinião nos comentários mais abaixo. Abraços Sombrios!

Leia Mais Histórias de Terror Assustadoras

A crise econômica causada pelo COVID-19 causou uma queda maciça nas nossas receitas publicitárias. Por favor, considere mostrar seu apoio através de uma pequena doação em PayPal. Sua doação ajudará este site a continuar online nesses momentos difíceis e, dessa forma, continuar fornecendo a vocês conteúdos interessantes regularmente. Abraços Sombrios!

COMPARTILHE ESSE POST

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

RECOMENDADOS PARA VOCÊ

error: Alert: Esse conteúdo está protegido!