Gêmeas Silenciosas | A Macabra História de June e Jennifer Gibbons

Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no tumblr

June e Jennifer Gibbons, conhecidas como gêmeas silenciosas, nasceram em 11 de abril de 1963 na ilha caribenha de Barbados. As gêmeas tinham uma estreita relação, e talvez por esse motivo tivessem demorado tanto a dar as primeiras palavras. Quando já tinham 3 anos de idade, mal tinham formado frases ou palavras. Porém seus pais não se preocuparam, pois as Gibbons pareciam saudáveis.

June e Jennifer Gibbons nasceram em 11 de abril de 1963 na ilha caribenha de Barbados
June e Jennifer Gibbons nasceram em 11 de abril de 1963 na ilha caribenha de Barbados

Quando as Gibbons começaram a ir à escola, os professores notaram que eram tímidas e excêntricas, e que quase não falavam. Para os adultos, era difícil penetrar no mundo das Gibbons. As irmãs conversavam apenas entre elas, e apenas a irmã mais nova, Rose, conseguia entrar no mundo de suas irmãs.

June e Jennifer, sincronizavam o pouco que faziam e falavam. E esta atitude fascinou Cathy Arthur, o terapeuta do colégio em que as gêmeas estudavam. Cathy se convenceu de que as imitações que as irmãs faziam, chegava ao extremo, então passou a observa-las.

Quando as gêmeas tinham apenas 9 anos, tiveram que mudar de colégio, a situação em que viviam anteriormente mudou drasticamente com a mudança para o novo colégio, já que eram aceitas pelos colegas, e muitos as admiravam pelo jeito peculiar.

No novo colégio, elas causaram medo aos outros colegas por conta de seu comportamento.

As Gibbons eram as únicas garotas negras do colégio, e com o tempo, já não tinham socialização com os colegas, elas falavam apenas entre elas, elas se entendiam, e não deixavam ninguém entrar em seu mundo.

Leia Também:  Bonecas Antigas Assustadoras que vão te causar calafrios

Quando June e Jennifer completaram 14 anos, terapeutas sugeriram que a melhor opção seria separa-las de escola, para que as duas pudessem socializar com outras pessoas. Porem, quando eram separadas, permaneciam imóveis durante horas.

June e Jennifer Gibbons adolescentes
June e Jennifer Gibbons adolescentes

June tentou se suicidar, então por este motivo, começaram a ser educadas em casa. As Gibbons adquiriram gosto pela escrita e pela leitura. Em 1979 os pais das Gibbons às inscreveram em um curso de escrita criativa. Com o passar do tempo, elas desenvolveram suas próprias histórias, com temas românticos, versavam sobre jovens, violência, tabus e sexo.

As Gibbons até tentaram publicar seus livros porém o conteúdo era muito brutal. Entao começaram a colocar em prática uma vida de crimes. As gêmeas passaram a incendiar locais, roubar e até cometer ataques. E um desses ataques, era tentar matar uma à outra. Porém sempre se perdoavam e continuavam inseparáveis.

Com 18 anos foram presas por tentar incendiar um bar, e condenadas à 14 anos de detenção em um centro psiquiátrico. Presas junto a criminosos violentos, violadores, psicopatas e sob a influência de muitos medicamentos e sedativos, as gêmeas deixaram de escrever histórias. Mas continuaram escrevendo em seus diários onde registraram seu declive psicológico.

Foto da entrada para o hospital broadmoor onde june e Jennifer gibbons foram presas depois de uma onda de crimes de cinco semanas.
Foto da entrada para o hospital broadmoor onde june e Jennifer gibbons foram presas depois de uma onda de crimes de cinco semanas.

Separadas, sofriam em silêncio, e entraram em uma teoria de que enquanto uma estivesse viva, a outra não estaria em paz. A partir disso ficaram conhecidas como Gêmeas Silenciosas. Elas começaram se atacar violentamente e tentavam se matar.

A relação delas era estranha e forte. Antes de serem mandadas para a prisão, uma até tentou matar a outra: June tentou estrangular a irmã com um fio de telefone, e Jennifer tentou afogar June em um rio. No final, elas se perdoaram.

Leia Também:  Barão Samedi | O Atravessador dos Mortos do Voodoo Haitiano

Segundo confessaram mais tarde, fazia tempo que as gêmeas tinham chegado a um acordo pelo qual se uma delas morresse a outra deveria começar a falar e levar uma vida normal. Convenceram-se assim de que uma teria que se sacrificar, e Jennifer foi a escolhida.

Em 1993, as gêmeas foram transferidas para uma clínica de segurança mínima. Ambas entraram na ambulância sorrindo, porém ao chegar ao destino, Jennifer estava morta. A autópsia relevou que não houve violência nem envenenamento. A morte aconteceu por conta de uma miocardite aguda.

Jennifer foi enterrada e June cumpriu sua promessa de viver normalmente. Hoje fala com as pessoas, relaciona-se em comunidade e, no ano 2000, foi diagnosticada sem nenhuma desordem psiquiátrica.

– “Por fim sou livre. Ao final Jennifer deu sua vida por mim”.

June escreveu um poema que está na lápide de Jennifer:

Uma vez fomos duas,
as duas éramos uma.
Não somos mais duas,
senão uma através da vida.
Descanse em paz.

Qualquer que seja a causa da morte de Jennifer, a relação entre as duas é assustadora e emocionante ao mesmo tempo. Apesar dos comportamentos delinquentes, é difícil não ter simpatia pelas duas meninas que cresceram isoladas e encontraram conforto uma na outra – na vida e na morte. 

Outros Posts

Como Posso Fazer Feitiços?

Muitos são aqueles que desejam saber sobre o futuro, ou melhor, mudar o futuro. Mas seria isso realmente possível? Eu acredito que o futuro está em nossas mãos… corrigindo; em nossos caldeirões. Aprenda como fazer

Leia Mais

Salão Safira [Relato Sobrenatural]

Durante um tempo eu, fui chefe de cozinha de uma empresa promotora de eventos numa pequena cidade do interior de São Paulo. Apesar de todas as dificuldades, trabalhei lá por quase 10 anos. A empresa

Leia Mais

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Pesquisa