O Trilo do Diabo, A Sonata Escrita pelo Príncipe das Trevas

O músico Giuseppe Tartini, que viveu entre os séculos XVII e XVIII, disse que sonhou com o próprio diabo e que teria trocado a alma pela mais bela e complexa composição. O resultado foi a Sonata para Violino em sol menor, O Trilo do Diabo.
O Trilo do Diabo, A Sonata Escrita pelo Príncipe das Trevas mundo sombrio

Será que essa é uma composição do próprio diabo? De acordo com esse músico do século XVII sim, e ela teria sido revelada pelo próprio demônio a esse violinista durante um sonho e passou a ser chamada de O Trilo do Diabo.

Hoje vamos falar de Giuseppe Tartini, um dos maiores compositores concertistas e teóricos musicais de todos os tempos. Ele apresentou ao mundo uma sonata e teria sido composta e executada pelo príncipe das Trevas. Ela foi considerada uma música tão difícil de tocar ao violino, que muitos chegaram a cogitar que o Tartini tivesse seis dedos na mão esquerda.

A Sonata do Diabo

O Trilo do Diabo começa de forma bem calma e vai mudando rapidamente de movimentos. O ritmo muda várias vezes, dessa forma chega a soar um tanto contraditória e também bastante dramática. Seria talvez inspirada na própria história do Lúcifer, já que ele começa sua existência como um ser de luz brilhante e que depois vai se transformando por causa do orgulho, da Inveja, da arrogância – por isso acaba expulso do Paraíso -, até a queda dele para o inferno que é um reino de terror, ódio e dor.

Essa Sonata para violino em sol menor chamada de O Trilo do Diabo, é um desafio para os violinistas por causa dessa complexa combinação de três notas que, naquela época, era vista como um som Demoníaco. Mas por que Satanás em pessoa em sonho ou visão, mostraria essa música para o Tartini?

Giuseppe Tartini

Giuseppe Tartini nasceu em 1692 numa das cidades da então República de Veneza na atual Eslovênia. Filho de família rica aristocrática, ele começou a receber lições de violino desde cedo, só que com 20 poucos anos se desinteressou pela música e se dedicou ao estudo do Direito na Universidade de Pádua na Itália.

Leia Também:  Post Mortem: As Fotografias dos Mortos da Era Vitoriana

Foi por essa época mais ou menos que ele se casou em segredo com a sobrinha de um Cardeal e, por isso, teve ordem de prisão decretada, mas conseguiu escapar. Para fugir, Tartini chegou se disfarçar de frade e se refugiou no convento dos franciscanos. Depois de um tempo ele foi Perdoado e voltou com a esposa para Pádua onde começou a carreira de concertista.

Giuseppe Tartini
Giuseppe Tartini

Uma das obras-primas dele nasceria logo após um pesadelo em que teria recebido a visita do Senhor das Profundezas. O músico narrou o ocorrido para o astrônomo francês Jerome Lalande dizendo o seguinte:

“Numa noite, no ano de 1713, sonhei que tinha feito um pacto com o diabo pela minha alma. Tudo aconteceu como eu tinha desejado: o meu novo servo antecipou todos os meus desejos. Entre outras coisas, eu dei-lhe o meu violino para ver se ele conseguia tocar. Como me espantei ao ouvir uma sonata tão maravilha e bonita, tocada com tanta arte e inteligência, como eu nunca tinha imaginado nas minhas mais ousadas navegações pela fantasia. Senti-me arrebatado, encantado, numa outra dimensão: até a minha respiração me faltou, e – acordei. Peguei logo no violino para poder reter, em parte pelo menos, a impressão do meu sonho. Mas foi em vão… A música que eu tinha acabado de compôr era sem dúvida a melhor que eu já tinha alguma vez escrito, e ainda a chamei de Trilo do Diabo, porém a diferença entre o que escrevi e o que me comoveu no sonho era tão grande que eu estive quase para ter a coragem de destruir o meu instrumento e quase que desisti para sempre da música se fosse possível viver sem a alegria que isso me dá.

Foi quando se levantou da cama e imediatamente tentou reproduzir ao violino aquilo que escutou, mas só conseguiu chegar perto, parecido, sem a mesma qualidade e perfeição da música original.

Representação do Pesadelo de Giuseppe Tartini, o trilo do Diabo, Sonata do Diabo
Representação do Pesadelo de Giuseppe Tartini dando origem, posteriormente, à Sonata do Diabo ou O Trilo do Diabo

É bom lembrar que estamos falando de um músico do Barroco, que muito mais do que um estilo, era também uma visão de mundo naquele período em que ocorria-se uma crise nos valores espirituais: um tempo de brigas religiosas com a reforma, contra-reforma, a disputa entre a Fé e a Razão. Tudo isso, esses sentimentos, esses questionamentos, essa luta entre o bem e o mal, se manifestavam principalmente na arte, e na Idade Média era comum a figura do demônio como o visitante da noite, o que invade os sonhos com tentações, induz ao pecado e se apossa das Almas condenadas.

Leia Também:  Os 10 Bruxos mais Poderosos da História

Se a história contada pelo Tartini realmente aconteceu, isso a gente não tem como saber. Mas o que se sabe, com certeza, é que os Consertos dele fizeram muito sucesso. Ele fundou uma escola de violino, que aumentou a sua reputação como músico Virtuoso e bom professor, foi autor de várias composições clássicas e ainda escreveu tratados de música, que são trabalhos didáticos importantes.

Giuseppe Tartini morreu em 1770 aos 78 anos, mas a Sonata do Diabo (O Trilo do Diabo) será imortal, assim como seu compositor original.

Ouça o Trilo do Diabo

COMPARTILHE ESSE POST

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest

PARA VOCÊ

Comente Aqui

Posts Recentes

Scroll Up