Almas Levianas [História de Terror]

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
Na História de Terror "Almas Levianas", você vai entender até onde vai o ser humano para saciar o seu mais perigoso desejo.
almas levianas história de terror

Ela o conheceu numa mesa de bar através de amigos comuns numa noite desregrada, impulsionada à álcool e baseados. Dentre outros casais que se formaram, Laura e Nicolas foram os mais inflamados pelo desejo, compartilhando o leito naquela mesma noite. Passaram ainda uma semana atiçando o fogo das paixões até que, ele depois do coito, confessou para Laura que era comprometido. Ela vomitou impropérios e censuras sobre a atitude dele. Foi embora sinalizando um fim, mas no outro dia voltou a se comunicar com ele.

Voltarama se encontrar, a compartilhar os corpos um do outro e a se xingar. E isso foise repetindo num ciclo descontrolado, cheio de leviandade. Mas Nicolasconfessava que não deixaria a namorada por Laura, embora tivesse uma incrívelatração por ela. Laura exigia dele uma decisão, mas acabava se contentando comos encontros furtivos.

Umdia, porém, o rapaz disse que era o fim e sumiu. Laura, ferida em orgulho edesejo, resolveu apelar para poderes obscuros, inclinação que tinha desdecriança, cercada pela tradição de familiares que realizavam rituais para deusesobscuros. E assim, através de objetos pessoais, sangue e rogos, Laura trouxeNicolas para si, cativo de uma paixão cega e renovada. Ela desfrutava disso atéficar exaurida, os dois com os corpos suados, ofegantes lado a lado emrepetidos atos.

Jána primeira semana da volta, ele terminou o relacionamento com a namorada e sedispôs totalmente para Laura. Terminado um mês de finais de semana de corpo ealma, intensos com fugas do trabalho para ficarem juntos, as vontades de Lauraarrefeceram. Nicolas porém, continuava entusiasmado. Ela até se esforçou paramanter acesa a chama, mas fracassou desaguando em momentos de tédio eindisposição.

Nãodemorou muito para que começassem a ter brigas ainda mais intensas que asprimeiras e desentendimentos exaltados que quase chegavam a agressões físicas.Nicolas cobrava de Laura atenção e ela, cada dia se desencantando com ele. Elaperdia o interesse e o achava um impedimento para coisas que ela realmentequeria fazer.

Depoisde cobranças desvairadas, ela propôs que terminassem. Então assim o fizeram,mas apenas algumas horas depois ele foi encontrá-la.

Laurase dedicou a acabar com o interesse de Nicolas com atos mais definitivos como,por exemplo, a confissão de que tinha nojo dele, além de tapas. Não teve êxito.Só conseguiu um jovem choroso aos seus pés dizendo que morreria sem ela. Osarroubos sentimentais continuaram mesmo quando ele a encontrou na cama comoutro. Mais agressões e cuspidas no rosto. A jovem se voltou para seus deusespavorosos em busca de orientação. Um deles, que assumiu o formato de uma avecarniceira, pediu que lhe trouxesse Nicolas à mesa que tudo se resolveria. Então,prometendo diálogo e reconciliação, ela chamou o rapaz para sua casa. Elacederia seus apelos por aquela noite enquanto faria um rito para que eledesapegasse.

Soba copa de árvores no quintal, em cima da mesa de pedra usada nos rituais, elestomaram vinho e trocaram carícias. Vieram as entidades e sussurraram no ouvidode Laura o que deveria fazer. Prontamente, lançou mão de um punhal e deu umaestocada na lateral do pescoço do homem, seccionando a principal artéria.Nicolas deu-lhe socos com os braços estendidos, às cegas, atrapalhado pelo engasgodo próprio sangue, enquanto suas forças iam minguando.

Emsom gorgolejante, perguntou-lhe:

“Porquê?

Laura respondeu dizendo que não queria mais e lançou-se sobre ele. Derramou seu sangue sobre a mesa e gritou por seus guias. Nicolas teve espasmos intermitentes que foram diminuindo até cessarem em definitivo. Laura misturou gasolina ao sangue sobre a mesa e pôs fogo. Cortou o corpo de Nicolas em pedaços, levou-o de carro e o enterrou num terreno saindo da cidade. No caminho de volta censurou-se pelo que fizera, afinal, seu apetite sexual voltara e Nicolas sabia fazer as coisas. Sem problema! Logo encontraria outro rapaz. Talvez um pelo qual não enjoasse tão rápido e tivesse que matar. Nicolas era o quarto… Aquilo estava ficando repetitivo, pensou ela.

“Almas Levianas” é uma História de Terror escrita por Jorge Raskolnikov

E aí, o que você achou da História de Terror “Almas Levianas”? Excitante e sangrenta? Deixe sua opinião aí nos comentários e não esquece de classificá-la, pois isso é muito importante para nós e para os nossos autores. Abraços Sombrios!

Leia Mais Histórias de Terror Assustadoras
Mundo Sombrio

Mundo Sombrio

Histórias de Terror, Lendas Urbanas, Creepypastas, Relatos Sobrenaturais, Vídeos e muito mais. Mundo Sombrio: O Melhor do Terror para Você!