Beatrice

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
Beatrice é uma história assustadora sobre uma conversa no Whatsapp entre uma moça chamada Beatrice e seu irmão mais novo, Armando. É uma história baseada em um conto do autor Manuel Villeda.
beatrice história de terror mundo sombrio-min

Beatrice: Armando?
Beatrice: Você está aí, Armando?
Beatrice: Preciso de sua ajuda.
Beatrice: Armando ???

Armando: O que diabos está acontecendo com você?
Armando: Onde você esteve?
Armando: Você sabe quantos problemas você causou?
Armando: Você assustou toda a família.
Armando: Todos temíamos o pior.

Beatrice: Eu sinto muito.
Beatrice: Acredite em mim, não foi minha intenção.

Armando: Você precisa ligar para mamãe e papai.
Armando: Eles estão muito preocupados com você.
Armando: Ninguém ouviu falar de você em três dias
Armando: Até a polícia está procurando por você!
Armando: Não sabíamos se você tinha fugido com algum cara
Armando: Ou se você estivesse apenas festejando com seus amigos.
Armando: Não sabíamos de nada!
Armando: Foi muito irresponsável.

Beatrice: Não brigue comigo.
Beatrice: Especialmente quando você não sabe o que realmente aconteceu.

Armando: Bem, então me diga.
Armando: Não é comigo que você precisa se preocupar.
Armando: Quando você chegar em casa, mamãe e papai vão ficar furiosos.
Armando: Eles vão repreender você muito pior do que eu.
Armando: Mas se você tiver uma boa desculpa, eles vão entender.
Armando: Afinal, você já tem dezoito anos.
Armando: Venha para casa e conte tudo o que aconteceu.

Beatrice: Eu faria se pudesse.
Beatrice: É por isso que estou mandando mensagem para você
Beatrice: Preciso de sua ajuda.
Beatrice: Eu preciso que você venha me encontrar
Beatrice: Venha me pegar.
Beatrice: E não diga nada para mamãe e papai

Armando: E por que eu não contaria ???
Armando: Eles são os que estão mais preocupados!

Beatrice: Você sempre foi o confiável, Armando.
Beatrice: Você é aquela pessoa que todo mundo procura quando tem problemas.
Beatrice: Você é quem pode lidar com qualquer coisa.
Beatrice: É por isso que preciso que seja você e mais ninguém que venha me buscar

Armando: Meu Deus, Bea! Do que você está falando?
Armando: Você está começando a me assustar.
Armando: Já está de madrugada.
Armando: Você não podia ter me mandado uma mensagem antes?
Armando: OK, estou vestido. Estou pronto para ir.
Armando: Onde você está?

Beatrice: Obrigada, irmãozinho.
Beatrice: Estou perto do rio.
Beatrice: Você vai ter que vir de carro
Beatrice: E depois caminhar o resto do percurso.

Armando: O quê ???
Armando: É um grande rio.
Armando: Devo procurar por toda a área?
Armando: Você poderia pelo menos me dar alguma referência.
Armando: Ou esperar na beira da estrada.
Armando: E por que diabos você está aí em primeiro lugar?

Beatrice: Não pergunte.

Armando: Quer saber, talvez seja melhor eu contar para mamãe e papai
Armando: E então a polícia pode ir buscar você.
Armando: Isso seria muito mais fácil para mim.

Beatrice: Não, por favor não!
Beatrice: Não diga aos nossos pais.
Beatrice: E não envolva a polícia
Beatrice: Eles vão dizer aos nossos pais
Beatrice: E eu não quero isso.
Beatrice: Você é a única pessoa em quem confio

Armando: Você está me colocando em uma situação muito estranha, Bea.
Armando: Eu não sei o que fazer.

Beatrice: Venha logo me encontrar.

Armando: Pelo menos facilite para mim.
Armando: Me dê mais alguns pontos de referência para que eu possa te achar mais facilmente.

Beatrice: Eu acho que tem uma velha fazenda abandonada aqui perto

Armando: Eu sei disso

Beatrice: Acho que passamos por lá.
Beatrice: O resto do caminho fomos a pé.

Armando: “Nós fomos” ???
Armando: Quem mais estava com você?
Armando: Vai para a beira da estrada e espere por mim

Beatrice: Não posso, irmãozinho.
Beatrice: Sério, não posso.
Beatrice: Se eu pudesse, você não acha que eu mesma teria voltado para casa?
Beatrice: Quanto a quem veio comigo …
Beatrice: Você não os conhece
Beatrice: Então é melhor não te contar.

Armando: Bem, quando você chegar em casa você vai nos explicar isso direitinho.

Beatrice: Eu sei. Eu sei.
Beatrice: Você vem?
Beatrice: Por favor, diga sim.

Armando: Estou a caminho. Mas não estou feliz com isso.
Armando: Tudo isso me deixa muito nervoso …
Armando: Oh, irmãzinha. As coisas que você me faz fazer …

Beatrice: Eu sei. Te devo essa.

Armando: Com certeza.

Beatrice: Você vem?

Armando: Estou saindo agora.
Armando: Por que você está com tanta pressa?

Beatrice: Existem alguns corvos por perto.
Beatrice: Eles me assustam.

Armando: Então grite com eles e assuste-os!

Beatrice: eu não posso

Armando: Por que você não pode?
Armando: Você está ferida?
Armando: Quem está aí com você?
Armando: Você está se escondendo de alguém?
Armando: Você tem que ficar quieta?

Beatrice: Não é tão simples assim.

Armando: Então o que está acontecendo?

Beatrice: Você vai descobrir quando vier atrás de mim.

Armando: Por que tanto mistério?
Armando: Você está me preocupando!
Armando: Você precisa me dizer o que está acontecendo.

Beatrice: Você não acreditaria se eu te contasse, irmãozinho.
Beatrice: Acredite em mim … Você não iria acreditar.

Armando: Bem, se você não me contar nada
Armando: Como posso saber em que acreditar e em que não acreditar?!?
Armando: Veja a situação.
Armando: Eu vou sair no meio da madrugada para te procurar
Armando: Mas eu não sei para onde estou indo
Armando: E eu não sei porque você está aí
Armando: E eu não sei quem está aí com você
Armando: E eu não sei o que está acontecendo com você
Armando: Pelo menos me diga uma coisa.
Armando: Isso é tão frustrante!

Beatrice: Apenas venha me pegar.
Beatrice: Por favor.
Beatrice: Confie em mim.
Beatrice: Você não precisa saber o que aconteceu.

Armando: Sério, eu não entendo você.
Armando: OK! Já estou na frente do rancho.
Armando: Estacionei o carro e agora vou a pé.
Armando: Devo seguir a estradinha que desce ao lado da cerca?

Beatrice: Acho que sim.
Beatrice: Não tenho certeza.
Beatrice: Só me lembro que logo pós você chega a um beco sem saída.
Beatrice: Então eles me fizeram ir para a floresta.

Armando: Já estou na estrada
Armando: Vou ver se chega a um beco sem saída.
Armando: FIZERAM você entrar na floresta?
Armando: Quem fez?
Armando: O que isso significa?

Beatrice: Nada. Nada.
Beatrice: Isso não significa nada.

Armando: Droga, Beatrice!
Armando: Fala logo o que está acontecendo!

Beatrice: Se eu te contar, você não vai acreditar em mim.
Beatrice: Então não pergunte.
Beatrice: Apenas venha me pegar, por favor!

Armando: A estrada termina em um beco sem saída
Armando: Eu acho que é o caminho certo

Beatrice: Sim, acho que sim.
Beatrice: Você não deve estar longe, irmãozinho

Armando: Existem marcas de pneus aqui
Armando: E sangue!
Armando: Tem algumas gotas de sangue na beira da estrada
Armando: O que aconteceu aqui Beatrice?
Armando: Exijo uma resposta!

Beatrice: Por favor
Beatrice: Não me faça dizer a você.
Beatrice: Não é fácil.

Armando: Há gotas de sangue nas folhas.
Armando: Tenho um pressentimento horrível sobre isso.
Armando: É o seu sangue, Beatrice?

Beatrice: Não. Não é meu.

Armando: Conte-me o que aconteceu aqui.
Armando: Você matou alguém?
Armando: Você está com algum cara? Ele matou alguém?
Armando: É disso que se trata?

Beatrice: Não Não Não Não

Armando: Você tem que me dizer!

Beatrice: Não tenho certeza.
Beatrice: Não me lembro claramente.
Beatrice: Apenas venha me encontrar.
Beatrice: Talvez se você seguir a trilha.
Beatrice: Eu não sei.
Beatrice: Apenas me encontre.

Armando: Por que você não quer me contar nada?
Armando: Na verdade, estou com medo agora.
Armando: Você me trouxe até aqui a esta hora da noite …
Armando: Sozinho no meio do nada.
Armando: Você é mesmo minha irmã?

Beatrice: Quem mais seria, irmãozinho?

Armando: Como posso saber?
Armando: Você poderia ser outra pessoa
Armando: Alguém pregando uma peça em mim.
Armando: Um sequestrador ou um assassino me atraindo para a morte?
Armando: Algum tipo de assassino em série louco.

Beatrice: Não seja idiota.

Armando: Talvez você já tenha matado minha irmã.
Armando: E agora você está se passando por ela.
Armando: Usando o telefone dela para me atrair até aqui.
Armando: É isso o que realmente está acontecendo aqui?
Armando: Você acha que eu sou estúpido?

Beatrice: Eu sou Beatrice, sua irmã mais velha.
Beatrice: Eu não mentiria para você, irmãozinho.
Beatrice: Acredite em mim.

Armando: Preciso ter certeza.
Armando: O que eu te dei no seu aniversário de 15 anos?

Beatrice: Uma pequena caixa com um colar que tinha minhas iniciais.

Armando: Bem, você está certa.
Armando: Acho que deve ser você.
Armando: Ou alguém que te conhece muito bem.
Armando: Enfim, não tenho escolha agora.
Armando: Estou indo encontrar você.

Beatrice: Acho que você está perto.

Armando: Eu preciso que você me diga o que aconteceu.

Beatrice: Você não vai desistir, vai?

Armando: Eu nunca desisto.

Beatrice: OK, mas se eu te contar, você tem que me prometer uma coisa.

Armando: O quê?

Beatrice: Você promete não pirar?

Armando: Já estou assustado.
Armando: Eu não acho que você consiga me assustar mais do que isso.

Beatrice: A verdade é que fui sequestrada.

Armando: O quê?! O QUÊ?!

Beatrice: Eles me sequestraram, irmãozinho.
Beatrice: Eu e minha amiga Cecilia
Beatrice: Quando saímos para comer hambúrguer
Beatrice: Uma van preta nos seguiu quando estávamos voltando para casa
Beatrice: Eles nos interceptaram em uma rua escura
Beatrice: Eles nos agarraram e nos forçaram a entrar na traseira da van.
Beatrice: Nós resistimos, gritamos, socamos e chutamos
Beatrice: Mas foi inútil
Beatrice: Eles continuaram nos batendo até que não pudéssemos lutar mais
Beatrice: Não podíamos fazer nada além de chorar

Armando: Pelo amor de Deus, Beatrice!
Armando: Temos que avisar a polícia sobre isso!
Armando: Esses caras ainda estão soltos.
Armando: Eles podem machucar outra pessoa!
Armando: Eles ainda estão mantendo você em cativeiro?

Beatrice: Mais tarde, Armando.
Beatrice: Você pode contar para a polícia depois
Beatrice: No momento, eu só quero que você me encontre
Beatrice: E me leve para casa
Beatrice: E não, eu não sou mais prisioneira

Armando: Esses caras ainda estão aqui?

Beatrice: Não. Eles já se foram.
Beatrice: Se eles ainda estivessem aqui, eu não pediria que você viesse.

Armando: Então o que aconteceu?
Armando: O que mais aqueles merdas fizeram com você?

Beatrice: Você ainda está procurando por mim?

Armando: Sim.
Armando: Há uma trilha de grama pisoteada e galhos quebrados.
Armando: E ocasionalmente eu vejo algumas gotas de sangue.

Beatrice: Depressa.

Armando: Estou com pressa. Mas estou com muito medo.

Beatrice: Fiquei muito assustada.
Beatrice: Esses caras eram dementes.
Beatrice: Acho que eles usavam drogas.
Beatrice: Eles nos sequestraram, mas não estavam procurando por dinheiro.
Beatrice: É por isso que eles nunca entraram em contato com nossos pais ou com os de Cecilia
Beatrice: Eles só queriam se divertir conosco

Armando: Sinto muito, Bea
Armando: Deve ter sido terrível para você.
Armando: Mas estou aqui agora.
Armando: Eu vou te levar para casa
Armando: Cecelia está com você?

Beatrice: Sim. Ela está aqui.
Beatrice: Ela está me ajudando a digitar no telefone.

Armando: Eles amarraram vocês duas?
Armando: E o que mais aconteceu?
Armando: Por que trouxeram vocês até aqui?
Armando: Junto ao rio?
Armando: Só de imaginar o que eles fizeram com vocês.
Armando: Isso me deixa louco.

Beatrice: Eles nos amarraram na van
Beatrice: E nos levaram para fora da cidade.
Beatrice: Um cara estava dirigindo
Beatrice: Os outros dois ficaram conosco na parte de trás.
Beatrice: Eles fizeram coisas terríveis conosco.

Armando: Droga!

Beatrice: Eles estacionaram a van no rancho abandonado.
Beatrice: Então eles nos arrastaram para fora e nos espancaram mais um pouco.
Beatrice: Cecilia tentou escapar, então eles bateram muito mais nela.
Beatrice: Foi o sangue dela que você viu.
Beatrice: Para nós foi um pesadelo
Beatrice: Mas para eles foi uma noite divertida.
Beatrice: Como eles riram, irmãozinho!
Beatrice: Como eles riram enquanto nos socavam e nos chutavam.
Beatrice: O que eles fizeram conosco, eles poderiam ter feito lá
Beatrice: No entanto, eles nos fizeram ir mais longe na floresta
Beatrice: E eles não pararam até que ouviram o barulho do rio
Beatrice: Acho que a intenção deles era que ninguém nos encontrasse
Beatrice: Eles se esqueceram de levar meu celular.

Armando: Eu vou te encontrar e vou te levar para casa.

Beatrice: Eu sei que você vai.
Beatrice: O que aconteceu foi horrível
Beatrice: As coisas que eles nos obrigaram a fazer eram nojentas.
Beatrice: Eles não eram homens, mas sim animais.
Beatrice: Eles nos espancaram e nos usaram como queriam.
Beatrice: Gritamos, imploramos, lutamos, mas eles não pararam
Beatrice: Mas o pior ainda estava por vir.

Armando: Eu continuo procurando, mas não consigo encontrar você.

Beatrice: Você está muito perto.

Armando: Tem um cheiro ruim aqui
Armando: Eu vejo sangue e algumas roupas sujas
Armando: Você está perto daqui?

Beatrice: Sim. Estou aqui.
Beatrice: Atrás dos arbustos à sua frente

Armando: BEA!
Armando: BEA! MEU DEUS!
Armando: VEJO DOIS CORPOS MORTOS !!!

Beatrice: Isso é o que eu estava com medo de dizer a você.
Beatrice: Eles nos mataram a facadas.

Armando: NÃO! NÃO!!!!!
Armando: ISSO NÃO PODE SER REAL
Armando: ISTO É ALGUM TIPO DE PEGADINHA DOENTIA?!
Armando: ONDE ESTÁ VOCÊ BEATRICE?!
Armando: SAIA! APAREÇA!
Armando: ONDE VOCÊ ESTÁ ???
Armando: Isso aqui não pode ser você
Armando: Estão irreconhecíveis esses corpos
Armando: E já estão se decompondo
Armando: Foram comidos por pássaros carniceiros
Armando: Mas como que você está me mandando mensagens ???

Beatrice: Levamos três dias para nos comunicarmos com alguém.
Beatrice: Estamos mortas, irmãozinho.
Beatrice: Não é um truque.
Beatrice: Mas a morte não é o fim.
Beatrice: Se a vontade for forte o suficiente.
Beatrice: Existe uma maneira de se comunicar.
Beatrice: Mas é preciso muita energia.
Beatrice: Estamos tão cansadas ​​agora.
Beatrice: Precisamos apenas descansar.
Beatrice: Leve-nos para casa, irmãozinho.
Beatrice: Dê-nos um enterro decente.

Armando: Não, não é verdade
Armando: Você não pode estar morta
Armando: Não me deixe
Armando: Continue mandando mensagens

Beatrice: Nosso tempo acabou.
Beatrice: Ficamos sem energia.
Beatrice: Não se esqueça da Cecilia.
Beatrice: Sem ela, essa comunicação não teria sido possível.
Beatrice: Tchau maninho!
Beatrice: Diga aos nossos pais que eu os amo.

Armando: Beatrice, não me deixe.
Armando: Não pare de enviar mensagens de texto.
Armando: VOCÊ NÃO PODE ME DEIXAR
Armando: ME RESPONDE
Armando: SÓ MAIS UMA VEZ, POR FAVOR!
Armando: POR FAVOR !!!!
Armando: Adeus, irmã. Eu te amo.

Leia Mais Histórias de Terror Assustadoras
Mundo Sombrio

Mundo Sombrio

Histórias de Terror, Lendas Urbanas, Creepypastas, Relatos Sobrenaturais, Vídeos e muito mais. Mundo Sombrio: O Melhor do Terror para Você!