As Escadas

“As Escadas” é uma história de terror sobre dois homens que passam a noite em uma casa velha e deserta. É baseado em um antigo conto de terror de Robert E Howard, que por sua vez foi inspirado no folclore afro-americano.
as escadas história de terror mundo sombrio

Dois homens chamados Banner e Griswell tentavam conseguir uma carona em uma estrada vazia, mas nenhum carro parava para eles. Eles estavam muito cansados ​​de andar. O sol estava se pondo rápido e eles precisavam encontrar um lugar para passar a noite.

Eles encontraram uma casa velha e abandonada e decidiram se abrigar lá dentro. O jardim estava coberto de ervas daninhas e arbustos. A porta da frente se abriu com dobradiças enferrujadas e um tapete de poeira jazia no chão.

Os dois homens tiraram algumas latas das mochilas e fizeram uma pequena refeição. Depois, desenrolaram os cobertores no chão, sentaram-se à vontade e adormeceram.

No meio da noite, Griswell despertou de repente de um sono perturbado. Estava escuro e ele tremia de frio. De repente, ele ouviu um barulho estranho. Era um assobio agudo.

Nesse momento, ele notou o amigo. Banner estava parado nas sombras, ouvindo atentamente. Ele parecia estar em algum tipo de transe. Então, o homem começou a subir devagar as escadas, com as botas batendo nos degraus de madeira. O assobio estridente ficou mais alto.

Griswell queria chamar o amigo e pedir que ele voltasse, mas as palavras morreram em sua garganta. Banner continuou subindo as escadas e finalmente desapareceu de vista.

De repente, os passos cessaram e Griswell prendeu a respiração. Ele esperou. Então, ele ouviu um grito horrível que dividiu o silêncio da noite e quase o fez perder a sua alma.

Por conseguinte, os passos recomeçaram e desceram as escadas. Griswell tremia de medo ao ver um par de botas descendo as escadas devagar. Ao luar, ele viu uma mão tateando no corrimão.

Um arrepio medonho percorreu a espinha do homem quando viu a outra mão. Segurava um machado ensanguentado.

Foi quando ele viu o rosto do amigo. Estava mortalmente pálido. Seus olhos estavam vidrados e sua boca estava arreganhada em um sorriso macabro. O sangue escorria de sua testa por um enorme corte que quase partiu seu crânio em dois!

Griswell soltou um grito de gelar o sangue e fugiu daquela casa. Ele correu cegamente pela noite escura, tentando desesperadamente fugir da casa velha. Ele corria demais, o tempo todo imaginando seu amigo perseguindo-o com seu machado ensanguentado, sua cabeça ensanguentada e seu horrível sorriso de morte! Ele correu e correu até desmaiar de exaustão.

De manhã, ele conseguiu encontrar uma delegacia de polícia e contou ao xerife o que havia visto. Juntos, eles voltaram para a casa antiga para conferir. O sangue de Griswell gelou ao pensar no que eles poderiam encontrar.

O xerife abriu a porta rangendo e olhou para dentro. Griswell olhou nervosamente por cima do ombro do xerife. No chão, ele viu seu amigo. Banner estava deitado de bruços em uma poça de sangue, com a cabeça quase cortada ao meio. Sua mão morta ainda estava segurando o cabo do machado.

A lâmina do machado estava fincada no chão, exatamente no mesmo local em que a cabeça de Griswell estava na noite anterior.

O xerife vasculhou a casa de cima para baixo, mas não encontrou outra alma viva.

COMPARTILHE ESSE POST

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no tumblr

DEIXE UM COMENTÁRIO

Posts Recentes

error: Alert: Esse conteúdo está protegido!