Yotsuya Kaidan, a Lenda do Fantasma de Oiwa

Yotsuya kaidan, a lenda do fantasma de oiwa

Uma das histórias mais famosas é, sem dúvida, a do fantasma de Yotsuya, mais conhecida como Yotsuya Kaidan. A lenda, inspirada em dois fatos diferentes da era Edo, foi criada na forma de uma peça de Kabuki, encenada pela primeira vez em 1825, que imediatamente ganhou imenso sucesso entre o povo de Edo, o antigo nome de Tóquio.

A Lenda de Oiwa, o Fantasma de Yotsuya

Essa lenda que muitas vezes foi transformada, contada, adaptada, como a maioria das lendas, possui muitas versões. No entanto, algo permanece inalterado em cada uma das versões, todas tem histórias de vingança, assassinato, fantasmas, amor e traição. Aqui vamos apresentá-lo a uma das versões mais comuns.

Iemon, um samurai desarmado, espera aumentar sua posição de casando com Oiwa, filha de Yotsuya Samon. Depois de implorar a ele que permitisse que ele se casasse com sua filha e ter sofrido uma recusa violenta, o samurai louco mata Samon. Um criminoso de baixa classe, Naosuke, testemunha o assassinato e se oferece para ajudar Iemon a esconder o crime em troca de sua ajuda. De fato, o criminoso estava de olho na irmã de Oiwa, Osode, já prometida a outra pessoa. Então eles conspiram juntos para acusar outros bandidos do assassinato do pai e Naosuke empurra o noivo de Osode do topo de uma cachoeira para se livrar dele. Os dois homens que conseguiram se passar por heróis passam desapercebidos pelos assassinatos e cada um deles consegue se casar com as irmãs.

Muito mais tarde, o casal Iemon e Oiwa viviam juntos com seu filho recém-nascido, porém muito pobres. Iemon não estava nada feliz e Oiwa sofria porque seu pai ainda não tinha sido vingado. O samurai começa a se apaixonar por uma mulher mais jovem, Oume, filha de um médico rico. Ao mesmo tempo, Naosuke, que vive com Osode, também está cansado de viver na pobreza.

A história aqui difere em duas versões diferentes, na que vemos na peça kabuki, Oume fica loucamente apaixonada por Iemon e sua família envenena Oiwa a fim de tornar o casamento dos dois possível. Em outra versão, é Naosuke quem vê no casamento de Iemon e Oume uma oportunidade perfeita para ficar rico e dá veneno ao samurai para que ele envenene sua esposa. O fato é que este veneno, nas duas versões, desfigura terrivelmente Oiwa que acaba morrendo e levando a vida de seu filho consigo. O corpo dela é jogado no rio pelos samurais e por Naosuke.

Logo depois disso, Iemon se casa com Oume, mas no dia do casamento, o fantasma vingador de Oiwa volta para assombrar o samurai e instiga-o – vítima de alucinações – a assassinar sua nova esposa e o pai dela. O fantasma também assediava Naosuke e sua esposa. A esposa de Naosuke é surpreendida com a visita de seu ex-noivo que, tendo sobrevivido à queda da cachoeira, a acusa de adultério. Perturbada, ela consegue pressionar seus dois maridos para dar a sua morte, deixando uma carta na qual ela confessa a Naosuke que ela é de fato sua irmã mais nova, causando o suicídio dele, que confessa seus crimes ao ex-noivo dela.

Iemon, ainda atormentado pelo espírito de Oiwa, fugiu para as montanhas a fim de se isolar de tudo e de todos. Durante uma pesca, ele pescou algo, que não eram peixes, mas sim os corpos de todos aqueles que ele matou que apareceram diante dele no lago. Constantemente assediado pelo fantasma de Oiwa, ele afunda na loucura até conhecer o ex-noivo de Osode, Yomoshichi que finalmente teve sua vingança matando Iemon.

O Fantasma de Oiwa

Oiwa é um onryō, um fantasma que busca vingança. Sua forte paixão por vingança permite que ela volte à Terra. Ela compartilha a maioria dos traços comuns desse estilo de fantasma japonês, incluindo o vestido branco que representa o quimono funerário que ela usava, o cabelo longo e desgrenhado e o rosto branco/índigo que marca um fantasma no teatro kabuki.

Existem características específicas em Oiwa que a diferenciam fisicamente de outros onryou. O mais famoso é seu olho esquerdo, que fica mais baixo em seu rosto devido ao veneno dado a ela por Iemon. Esta característica é exagerada em performances de kabuki para dar a Oiwa uma aparência distinta. Ela costuma ser mostrada como parcialmente careca, outro efeito do veneno. Em uma cena espetacular da peça kabuki, a Oiwa viva senta-se diante de um espelho e penteia os cabelos, que caem por causa do veneno. Esta cena é uma subversão de cenas de penteados eróticos em peças de amor kabuki. O cabelo se acumula em alturas tremendas, conseguidas por uma mão do palco que se senta sob o palco e empurra mais e mais cabelo pelo chão enquanto Oiwa está penteando.

Yotsuya kaidan, a lenda do fantasma de oiwa
Yotsuya Kaidan, a Lenda do Fantasma de Oiwa

Oiwa está supostamente enterrada em um templo, Myogyo-ji, em Sugamo, um bairro de Tóquio . A data de sua morte está listada como 22 de fevereiro de 1636. Várias produções de Yotsuya Kaidan, incluindo adaptações para a televisão e para o cinema, relataram acidentes misteriosos, ferimentos e até mortes. Antes de encenar uma adaptação de Yotsuya Kaidan, agora é uma tradição para os atores principais e o diretor fazer uma peregrinação ao túmulo de Oiwa e pedir sua permissão e bênção para sua produção. Isso é considerado especialmente importante para o ator que assume o papel de Oiwa.

Tumulo do fantasma de yotsuya tumulo de oiwa • mundo sombrio
Túmulo de Oiwa no templo Myogyo-ji, em Sugamo

Adaptação para os Cinemas

A primeira adaptação para o cinema foi feita em 1912, e foi filmada cerca de 18 vezes entre 1913 e 1937. Uma adaptação notável foi Shimpan Yotsuya Kaidan de Itō Daisuke, um dos mais importantes diretores japoneses de seu tempo.

Uma adaptação de 1949, A Nova Versão do Fantasma de Yotsuya (Shinshaku Yotsuya kaidan), por Kinoshita Keisuke removeu os elementos fantasmagóricos e apresentou Oiwa como uma aparição da psique culpada de seu marido. Também era conhecido como O Fantasma de Yotsuya.

O estúdio Shintoho produziu Ghost of Yotsuya, de Nobuo Nakagawa, 1959 (Tokaido Yotsuya kaidan), que é considerado pelos críticos como a melhor adaptação da história para as telas.

Cena de ghost of yotsuya (fantasma de yotsuya), de nobuo nakagawa, 1959
Cena de Ghost of Yotsuya (Fantasma de Yotsuya), de Nobuo Nakagawa, 1959
Cena de ghost of yotsuya (fantasma de yotsuya), de nobuo nakagawa, 1959
Cena de Ghost of Yotsuya (Fantasma de Yotsuya), de Nobuo Nakagawa, 1959

A Toho produziu uma versão de Ghost of Yotsuya em 1965, dirigida por Shirō Toyoda e estrelada por Tatsuya Nakadai, que foi lançada como Ilusão de Sangue no exterior. Em 1994, Kinji Fukasaku retornou às raízes do Kabuki e combinou as histórias de Chūshingura e Yotsuya Kaidan em um single chamado Crista da Traição.

Também houve adaptações na televisão. A história 1 do drama de televisão japonês Kaidan Hyaku Shosetsu foi uma versão de Yotsuya Kaidan, e os episódios 1–4 de Ayakashi: Samurai Horror Tales, uma série de anime de 2006, também foram uma recontagem da história.

Adaptação do fantasma de yotsuya feita por Takashi Miike (2014) “Over Your Dead Body”

Leia Também

Mundo Sombrio

Mundo Sombrio

Histórias de Terror, Lendas Urbanas, Creepypastas, Relatos Sobrenaturais, Vídeos e muito mais. Mundo Sombrio: O Melhor do Terror para Você!

Compartilhe com os Amigos

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

SELECIONADOS PARA VOCÊ

POSTS POPULARES