Museu dos Warren | Conheça os objetos amaldiçoados do Museu do Ocultismo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no tumblr

A franquia de filmes Invocação do Mal é baseada em uma história real. Seu roteiro é apoiado na vida de um casal de investigadores paranormais, os conhecidíssimos Ed e Lorraine Warren. Durante a carreira, eles averiguaram diversos casos, entre eles o suposto massacre de The Amityville Horror, o caso da boneca Annabelle e os estranhos acontecimentos que supostamente ocorreram com a família Perón em 1971, evento que é retratado em Invocação do Mal.

Nesta mesma franquia, ainda fazem parte os famosos filmes Annabelle 1, 2 e 3, A Freira e recentemente, A Maldição da Chorona.

Lorraine Rita Warren (janeiro/1927 – abril/2019) e Edward “Ed” Warren Miney (setembro/1926 – agosto/2006). Os investigadores e demonologistas paranormais do Museu dos Warren, na vida real.

O Casal Warren no Cinema

Os Warren inspiraram outros filmes, tais como The Amityville Horror (Horror em Amityville, 1979)The Haunted (A Casa das Almas Perdidas, 1991)The Amityville Horror (Horror em Amityville, 2005 – Remake)A Haunting in Connecticut (Evocando Espíritos, 2009)entre outros.

Sim, agora dá para entender o quanto os Warren foram importantes no ramo, não é verdade? E não para por aí. A franquia ainda está com novos projetos, como A Freira 2, Invocação do Mal 3, previstos para os próximos anos.

Sobre o Museu dos Warren

The Warrens Occult Museum (Museu de Ocultismo dos Warren ou Museu dos Warren) foi fundado em 1952. Está localizado em Connecticut, Estados Unidos. Desde que existe, centenas de milhares de pessoas de todo o mundo já foram até o local, que nada mais é do que a maior e mais obscura coleção de itens macabros que já foram utilizados em rituais demoníacos, em diversas partes do mundo. Atualmente, devido a alterações no zoneamento, ele foi fechado enquanto a equipe que o administrava encontra um novo local.

O vídeo da Warner Bros abaixo mostra como é a sala dos artefatos do museu dos Warren, no teaser do filme de terror Annabelle de Volta para Casa:

Objetos do Museu dos Warren apresentados nos filmes

Há obviamente uma força hollywoodiana que impera nos filmes. Isso quer dizer que muitos objetos usados nos filmes da franquia The Conjuring (Invocação do Mal), embora tenham inspiração nos objetos reais do museu, não são exatamente verdadeiros. A ficção precisa fantasiar um pouco e deixar as cenas mais atrativas.

Em entrevista cedida ao site The Hollywood Reporter, o genro dos Warren e curador do museu, Tony Spera, divide as lendas que inspiraram o filme mais recente e como elas diferem do que chegou ao cinema.

A Boneca Annabelle

Uma grande diferença entre a Annabelle da franquia cinematográfica e a boneca do Museu Oculto é a aparência. Como se observa na imagem acima, a boneca da vida real (à esquerda) não tem olhos arregalados, tampouco é feita de porcelana. Na verdade, é uma boneca Raggedy Ann, de aparência inocente. Independentemente da imagem, a boneca real é considerada perigosa. Segundo a própria Lorraine Warren, o mal existente na boneca verdadeira está dentro dela, não por fora. Tanto que um padre periodicamente vai exorcizá-la no museu.

Em entrevista ao USA Today , Lorraine Warren, ao discutir sobre a boneca amaldiçoada Annabelle disse:

No primeiro filme de Annabelle, o enredo conta que Mia e John eram um casal e esperavam seu primeiro bebê. John dá à Mia uma boneca que ela vinha procurando. Mia a coloca com o resto de sua coleção de bonecas, dizendo que ela se encaixa perfeitamente entre as outras. Entretanto, a história real é bem diferente.

As aparências enganam. Não é a aparência da boneca que a torna assustadora; é o que foi infundido dentro da boneca: o mal.

A Origem de Annabelle

Tudo começou quando Donna, uma estudante de Enfermagem, recebeu de presente de sua mãe uma boneca Raggedy Ann, assim que se mudou para Connecticut por volta de 1970.

Donna e sua colega de quarto começaram a perceber subitamente que quando elas voltavam para casa, a boneca estava sempre em uma posição diferente. Muitas vezes, inesperadamente a boneca Annabelle estava em um outro cômodo qualquer.

Preocupadas com o que poderia estar acontecendo, as jovens buscaram ajuda de um médium. Na época, o homem disse que a boneca estava sendo possuída pelo espírito de uma menina chamada Annabelle. Supostamente, a menina havia morrido naquele apartamento há muito tempo e estava feliz pela presença das jovens. Isso foi o suficiente para que elas deixassem o espírito inofensivo viver com elas através da boneca.

Até o dia em que a boneca tentou estrangular um amigo das jovens, que frequentava o apartamento, mas não acreditava que a boneca estivesse possuída. Assustadas, as moças chamaram um padre especialista em exorcismo, que também não conseguiu dar conta sozinho da coisa que ali estava.

A intervenção de Ed e Lorraine Warren

Foi então que Ed e Lorraine interviram. Logo de cara, eles viram que não se tratava de um espírito humano, mas um demônio que manipulava a boneca para tentar possuir uma alma humana, provavelmente a de Donna. Assim sendo, o Padre fez o exorcismo no apartamento e na boneca, e o casal levou Annabelle embora.

Entretanto, até chegar ao museu, eles quase sofreram um acidente sério. Ed, então, resolveu parar o carro, jogar água benta na boneca e fazer nela o sinal da cruz. O ritual acalmou Annabelle, mas de volta à casa do casal, ela ainda manteve suas atividades demoníacas por algum tempo.

Lorraine contava que, muitas vezes, eles flagraram a boneca levitando ou, simplesmente, em outros lugares da casa. Foi preciso, então, fazer uma espécie de urna de madeira e vidro, onde a boneca permanece trancada até hoje.

Um Visitante Zombeteiro

Ainda de acordo com Lorraine, um casal de incrédulos visitou o Museu dos Warren há alguns anos e pediu para ver Annabelle. O rapaz resolveu fazer graça da história e bateu o dedo no vidro da urna, mandando a boneca provar que tudo aquilo era real. O resultado desse desafio foi um acidente de moto que tirou a vida do rapaz. A namorada dele sobreviveu, mas precisou passar um tempo em um hospital psiquiátrico, a fim de se livrar do trauma do acidente. Hoje ela surpreendentemente não se lembra mais do que aconteceu.

O Vestido de Noiva

O Vestido da Dama Branca ou Dama de Branco no Museu dos Warren

Em Annabelle Comes Home, um vestido de noiva no museu tem uma forte presença. Dentro da primeira meia hora do filme, a história por trás do vestido mortal é revelada. Quem veste o vestido certamente matará seu noivo. Spera, por sua vez, desmascara a história do vestido, confirmando que um vestido branco está presente no Museu Oculto, mas que não se sabe se o vestido pertenceu ou não a uma noiva.

Spera relata que a história oficial por trás do vestido branco no Museu Oculto que o museu afirma ser verdadeiro é da Dama Branca do Cemitério da União, Connecticut.

Ela é vista há décadas e décadas

O caso de Rod Vescey

Segundo Spera, uma das supostas testemunhas da Dama Branca era um jovem chamado Rod Vescey. Ele conta que certa noite em 2009, Rod passava de carro pelo cemitério da União por volta de 1 da manhã depois de sair do trabalho.

Ele estava descendo a Rota 59 quando de repente sentiu uma presença tomar forma no banco do passageiro. Rod olhou por cima do ombro e surpreendentemente viu um homem vestido com roupas dos anos 60. O jovem então desviou o olhar dominado pelo medo e depois lentamente se virou para espiar novamente. No entanto, a entidade desapareceu no ar, tão rapidamente quanto chegou. Assim sendo, Vescey voltou a olhar para a estrada, quando de repente avistou uma mulher a cerca de 35 ou 40 metros à sua frente. A moça estava vestida de branco com um véu sobre o rosto. A Dama Branca, como é chamada, levantou a mão na frente dela, como se dissesse “pare”. Rod freou bruscamente e então a Dama Branca foi de encontro ao veículo, atravessando o carro e desaparecendo em seguida. Spera disse que Rod sentiu “um fio de ar passar pela orelha direita”. Ele simplesmente a pressentiu atravessando o carro. Depois disso, ele tornou a olhar pela janela. Dessa vez viu o lado da estrada manchado com um tom de tijolo vermelho, como se alguém tivesse revestido a estrada com tinta vermelha. Segundo Rod, quando a Dama Branca passou ele, houve um misto de tristeza e compaixão. Era como se ela estivesse tentando lhe contar algo, talvez tentando mostrar os detalhes trágicos de sua morte prematura.

O caso da explosão do transformador

Em uma outra ocasião, quando um transformador explodiu em uma rodovia em Connecticut, a Dama Branca supostamente se manifestou a ponto de se tornar sólida. Um policial de folga e bombeiro estavam respondendo a uma ligação quando atingiram acidentalmente a Dama Branca no caminho. O impacto foi tão grave que o acidente afetou o caminhão dos Bombeiros.

A Dama Branca conseguiu se tornar sólida naquela noite porque a energia que vinha dos transformadores dava ao espírito a energia para se manifestar.

Todos os hospitais e policiais locais foram chamados, mas nenhum acidente foi relatado. Surpreendentemente não havia nenhuma dama viva ou morta. Acredita-se que a mulher atingida pelos policiais fosse a tal Dama Branca do Cemitério da União.

O Bracelete de Luto

Em Annabelle Comes Home, a jovem Daniela não consegue lidar com a morte do pai. Então ela coloca o bracelete de luto do museu dos Warren no pulso, na tentativa de contatá-lo no além do túmulo. Assim sendo, a jovem insere uma foto de seu amado pai na pulseira e pede para falar com ele. Quando ela faz isso, ela desobedece à política de “não tocar” em nenhum artefato do museu.

Spera confirma que não existe nenhum bracelete de luto entre os artefatos, embora suspeite que o objeto seja provavelmente inspirado nas pérolas da morte que existem no museu.

Ele conta que certa vez uma mulher recebeu esse conjunto de pérolas e quando as colocou no pescoço, alegou sentir-se como se estivesse sendo estrangulada. As pessoas ao seu redor tiveram que arrancar as pérolas da mulher para salvá-la.

Diz Spera:

Tudo remonta a objetos amaldiçoados. Objetos nos quais alguém amaldiçoa. Poderia ser um bracelete, colar ou qualquer artigo em que alguém realizasse feitiços e rituais para colocar más vibrações.

Da mesma maneira que um padre pode abençoar uma relíquia sagrada, um adorador satânico ou praticante de magia negra pode amaldiçoar um objeto, como por exemplo as pérolas da morte.

O Piano

Piano no Museu dos Warren

No filme Annabelle 3, a jovem Daniela desliza seus dedos sobre as teclas do piano amaldiçoado, quebrando dessa forma a regra de não tocar em absolutamente nada que estivesse naquela sala.

A história conta que no passado, Eliakim Phelps, pastor de uma igreja presbiteriana em Genebra, Nova York, comprou uma residência em Stratford, Connecticut, para viver com sua família. Entretanto, em março de 1850 alguns fenômenos paranormais começaram a acontecer no local.

O caso da família Phelps

Certa vez, voltando do culto, eles encontraram a casa toda revirada. Depois de organizar os pertences, Phelps mandou sua família para o culto da tarde e ficou em casa para observar se algo mais acontecia.

Surpreendentemente, ao descer as escadas da casa, observou que na sala de jantar havia onze mulheres em total devoção, com bonecos de pelúcia vestindo as roupas da sua própria família. A partir desse dia, os fenômenos se intensificaram e muitos testemunharam situações paranormais na residência. Dentre as manifestações, objetos eram arremessados, ouvia-se batidas na parede, além de agressões físicas aos moradores locais.

Oito anos após o início dos episódios, a família Phelps resolveu se mudar. Muitos anos depois, quando novos moradores habitaram a casa, começaram a presenciar fenômenos estranhos. Assim sendo, contataram os demonologistas Ed e Lorraine Warren para investigaram o local. Contudo, estes não encontraram nenhum motivo aparente para a assombração.

Tempos depois houve um incêndio na casa, entretanto, os objetos já tinham sido retirados. Ofereceram o piano a Ed, que levou o órgão até o museu dos Warren, mas não tinha ideia do real poder do objeto.

O genro dos Warren, o também investigador paranormal Tony Spera, relatou que certa noite Ed ouviu o piano tocando. Então pensou que alguém poderia ter entrado no museu. Assim, desceu as escadas para verificar, o piano parou de tocar. Ainda segundo Spera, esse fenômeno aconteceu três vezes. No entanto, após a benção do local por um padre, o instrumento cessou suas atividades.

O Lobisomem

Em Annabelle Comes Home, uma pata de lobisomem é mostrada ao público descansando em uma prateleira. Mais tarde, um lobisomem fica à espreita do lado de fora da casa dos Warren, perto dos galinheiros, e persegue alguns personagens. Segundo Spera, nenhum lobisomem ou parte dele existe no museu. No entanto, ele acredita que a inspiração para o filme veio provavelmente de um caso de Londres em que Ed e Lorraine trabalharam e até escreveram um livro sobre.

“Houve um caso em Londres em que um homem se transformava em lobisomem”, afirma Spera. Ele não se tornou um lobisomem como nos filmes, mas atuava como um lobisomem. O homem rosnava, transformava seus dedos em garras e atacava pessoas nas ruas de Londres. O homem se chamava William “Bill” Ramsey“.

Spera diz que os Warrens acreditavam que Ramsey era possuído pelo espírito que causa a licantropia, ou seja, a transformação sobrenatural de um humano em lobo. Para salvar a alma de Ramsey, em 1989, Ed e Lorraine o trouxeram de Londres para os Estados Unidos, para que o bispo Robert McKenna fizesse um exorcismo nele e o libertasse da força do mal.

Depois que o exorcismo foi realizado, Bill Ramsey disse que estava livre do mal que havia nele. Ele voltou a ser o homem de antes, e passou a viver uma vida normal.

O Tabuleiro Ouija

Tabuleiro Ouija no Museu dos Warren

A trama é baseada no caso do Poltergeist Enfield, registrado no final da década de 1970. Há uma cena do filme Invocação do Mal 2 em que Janet brinca com a irmã Margaret em um tabuleiro Ouija e depois deixa-o debaixo da cama.

Há uma diversidade de longas e documentários que envolvem o uso de um Tabuleiro Ouija. O objetivo do jogo é para a comunicação com espíritos.

No Museu dos Warren existe um Tabuleiro de Ouija real, entretanto, Spera adverte que usá-lo é muito perigoso, porque você está pedindo para conversar com espíritos, num reino desconhecido.

Segundo Spera:

Depois de abrir a porta para o outro reino, é muito difícil fechá-la. É como abrir uma janela em uma cabana de madeira na floresta, pensando que uma bela borboleta monarca vai voar, mas um lobo, coiote ou urso pode entrar e machucá-lo. A analogia é apropriada para o reino espiritual. Você não sabe o que há por aí, então deve ter cuidado com o que convida a entrar.

O Espelho de Conjuração

Espelho de Conjuração no Museu dos Warren

Em Annabelle Comes Home, há um aparelho de televisão no museu que mostra o futuro quando você olha para ele. Quando Daniela olha para o aparelho, ela fica paralisada, como se a TV fosse o rosto de Medusa e ela tivesse sido transformada em pedra. Spera diz que este aparelho de TV foi completamente fabricado para o filme, mas que a ideia pode ter vindo do espelho de conjuração no Museu Oculto dos Warren.

O espelho recebeu esse nome porque alguém supostamente tentou conjurar espíritos em seu reflexo. Com esse objeto em particular, um homem em Nova Jersey teria ficado sentado em frente ao espelho na parede por horas a fio, continuamente pedindo para convocar seus familiares falecidos.

Ei, eu quero ver você, você pode vir falar comigo?” ele perguntava ao espelho, sentado na escuridão, com nada além de uma lâmpada vermelha atrás dele.

O homem acenou para o espelho por cerca de duas semanas. Depois de quinze dias, “rostos terríveis de monstruosidades apareceram no espelho”. Os rostos infernais eram tão diabólicos que levaram o homem a uma instituição mental.

Spera salienta que esse tipo de conjuração é conhecido como Crystalmancy.

OBS: Crystalmancy é quando um espírito é capaz de se apresentar em um objeto brilhante, como uma TV, um espelho, um prato, uma janela de vidro, um para-choque de um carro, etc.

Os Warrens ganharam posse do espelho de conjuração quando a família do proprietário os chamou em sua casa depois que ele foi internado na instituição mental.

E aí, o que você achou dessa Curiosidade Sombria sobre o Museu dos Warren, ou mais precisamente, Museu do Ocultismo? Você teria coragem de visita-lo? Deixe sua opinião aí nos comentários. Abraços Sombrios!

Fonte: Hollywood Reporter

Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no tumblr

Curso - Desenvolvimento de Games - Completo

Aprenda como Criar e Programar seus Próprios Jogos. Mesmo que esteja começando HOJE!O Curso INÉDITO no Brasil está com uma super promoção e pode ser seu.Ainda com Acesso Vitalício, Suporte Individual, Certificado, Novas Aulas e Muito MAIS!Aprenda a Programar seus Próprios Jogos

Deixe um Comentário

Outros Posts

Slender Man | A Lenda Ainda Vive

Geralmente, o Slender Man é descrito como sendo alto e magro, com braços anormalmente longos, que podem se estender para intimidar ou capturar as suas presas. Com pele toda branca, sem rosto e sempre usa

Leia Mais

Luxúria [História de Terror]

Nesta série de Histórias de Terror sobre os 7 Pecados Capitais, você será apresentado ao pecado da Luxúria. Mais um pôster de Jay Saw havia sido pendurado no quarto de Jenny. Aquele era o sétimo

Leia Mais

A Mão Morta [História de Terror]

“A Mão Morta” é uma história assustadora sobre um pântano na Irlanda que, segundo rumores, é assombrado por criaturas estranhas e perturbadoras. É baseada em um conto popular coletado por MC Balfour em seu livro,

Leia Mais
Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Login

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Login

Faça o Login para ter acesso à muitas novidades no nosso site!

[ihc-login-form]

Pesquisa