Shinigami | Conheça o Espírito da Morte do Folclore Japonês

matinta perera lenda brasileira

Compartilhe esse post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no tumblr

Os Shinigami são deuses japoneses da morte ou espíritos da morte. Eles são parecidos com o Ceifador que conhecemos, entretanto esses seres sobrenaturais podem ser um pouco menos assustadores e chegaram mais tarde na cena folclórica. Os Shinigamis se tornaram uma figura popular ao longo dos anos nas terras japonesas.

Shinigami não existia no folclore tradicional japonês e só surgiu depois. “Shinigami” é um composto das palavras japonesas “shi”, que significa morte, e “kami”, que significa deus ou espírito.

O Shinigami como um Ceifador do Japão

Embora o mito japonês tenha sido preenchido por diferentes tipos de kami como espíritos da natureza, ele só entrou no folclore japonês por volta do século XVIII ou XIX. Essa palavra nem existe na literatura japonesa clássica; Os primeiros exemplos conhecidos desse termo, apareceram no Período Edo, quando foi usado em um tipo de teatro de fantoches japonês e na literatura com uma conexão com espíritos malignos dos mortos, espíritos que possuem os vivos e os suicidas.

Foi nessa época, que as ideias do Ocidente, em particular as ideias cristãs, começaram a interagir e se misturar com as crenças tradicionais xintoístas, budistas e taoístas. A mitologia xintoísta e japonesa já tinham uma deusa da morte chamada Izanami, por exemplo e o budismo tinha um demônio chamado Mrtyu-mara, que incitava as pessoas à morte também. Mas, uma vez que a cultura oriental conheceu a cultura ocidental e a noção de um Ceifador, um novo deus da morte apareceu – o Shinigami.

Apesar deles serem parecidos com o Ceifador, eles não são totalmente iguais, e existem algumas diferenças importantes entre os dois.

Para começar, na crença ocidental, o Ceifador é considerado um ser aterrorizante e é a personificação da própria morte. No folclore japonês, por outro lado, a morte é menos vista como um indivíduo e mais como parte do ciclo natural da vida. Assim, esses espíritos são considerados agentes que facilitam o bom funcionamento deste ciclo.

Ao contrário do Ceifador, que pode ser descrito como um “colhedor de almas”, eles meramente asseguram que as pessoas morram na hora marcada e depois escolhem suas almas para a vida após a morte. Poderiam até mesmo dizer que eles são menos assustadores do que um Ceifador porque educadamente convidam as pessoas para a morte, em vez de arrastá-las para a vida após a morte, ou usar meios mais agressivos para colhê-las.

Além disso, enquanto o Ceifador é descrito como singular e é tradicionalmente descrito como um esqueleto vestido em um manto negro e com uma foice, acredita-se que existem muitos Shinigamis de aparências desconhecidas que geralmente trabalham em pares.

Uma História de Shinigami

Em um conto tradicional, um homem que está farto de sua vida se prepara para cometer suicídio. Antes que ele pudesse fazê-lo, no entanto, ele é visitado por um Shinigami, que lhe diz que sua hora ainda não chegou. O espírito também explica que cada vida é medida em uma vela e, uma vez que a chama se apaga, a pessoa morre. Isso mostra que os Shinigamis não têm controle sobre quem vive e quem morre. Para impedir o homem de cometer suicídio, o espírito da morte japonês diz a ele uma maneira fácil de ganhar dinheiro.

Ao homem, é dito que ele poderia fingir ser um médico que conseguiria curar qualquer doença. Ao falar algumas palavras mágicas, um Shinigami pode ser forçado a voltar ao submundo, prolongando assim a vida de uma pessoa. O homem também é informado de que isso só funcionaria se o Shinigami estivesse sentado ao pé da cama dele. Se o Shinigami está sentado na cabeceira da cama, significa que o doente deve morrer. Usando esse novo conhecimento encontrado, o homem ficou muito rico.

Um dia, o homem foi chamado para uma casa a fim de curar alguém. Quando ele entra, ele vê que o Shinigami está sentado na cabeceira da cama do paciente, indicando que a morte era certa. A família implorou e implorou, e ofereceu-lhe uma grande quantia de dinheiro. Consumido pela ganância, o homem decide se arriscar e, quando o Shinigami cochila, ele rapidamente muda a orientação da cama do paciente, salvando assim sua vida.

O Shinigami está obviamente infeliz com o que ele fez, e quando o homem chega em casa, ele o critica por sua desobediência. O Shinigami então muda de tom e sugere que eles saiam para uma bebida para comemorar seus ganhos. O homem se apaixona pelo truque, e o Shinigami o leva a um prédio cheio de velas. O espírito da morte então, mostra ao homem sua vela, que está quase queimada como resultado do que ele acabara de fazer. Ao homem foi oferecida a chance de prolongar sua vida, transferindo o pavio e a cera de sua vela para outra. O homem falha nessa tentativa, quando ele abaixa a vela e morre.

O Espírito da Morte Japonês na Cultura Pop

Eles acompanharam a cultura ao longo dos tempos, e frequentemente foram apresentados nos animes e mangás japoneses modernos. Estes incluem Death Note, Bleach, Naruto e Soul Eater. Em cada um desses animes ou mangás, esse espírito da morte japonês, recebe frequentemente papeis que são bem diferentes dos tradicionais. Além de sua associação com a morte, esses Shinigami modernos não têm muito em comum com seus colegas mais tradicionais.

Deixe um Comentário

Pesquisa