Josephine Myrtle Corbin, a Mulher com 4 Pernas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
Josephine Myrtle Corbin, a mulher de 4 pernas mundo sombrio

Josephine Myrtle Corbin, conhecida posteriormente como A Mulher com 4 Pernas, nasceu com uma anomalia conhecida como Dipygus em 12 de maio de 1868 em Lincoln County, Tennessee e morreu em 6 de maio de 1928 em Cleburne, Texas. Isso significa que ela tinha duas pélvis separadas lado a lado da cintura para baixo, como resultado da divisão do eixo do corpo à medida que se desenvolvia.

Cada uma de suas pernas internas menores era emparelhada com uma de suas pernas exteriores e maiores. Ela era capaz de mover suas pernas internas, porém elas eram muito fracas para andar.

Josephine myrtle corbin, a mulher com 4 pernas
Josephine Myrtle Corbin, a Mulher com 4 Pernas

Os pais de Corbin eram William H. Corbin, 25 anos na época do nascimento de sua filha, e Nancy Corbin (nascida em Sullins), 34 anos.

Ambos os pais foram descritos por médicos que examinaram o bebê logo após seu nascimento como sendo muito semelhantes na aparência, “ambos com cabelos ruivos, olhos azuis e pele muito branca”; na verdade, eles se pareciam tanto que os médicos se até acharam que eles eram “parentes de sangue”. Os Corbins tiveram quatro filhos e quatro filhas no total, incluindo uma filha do primeiro casamento de Nancy.

O nascimento do bebê Myrtle não foi marcado por nenhum problema durante o parto segundo sua mãe, mas sim um golpe de sorte, pois os médicos teriam dito que a situação da criança mataria uma das duas, ou talvez as duas.

Corbin logo se mostrou uma criança forte. Pesando 10 quilos três semanas após seu nascimento, e foi relatado em um jornal publicado no final daquele ano que ela “mamava de forma saudável” e estava “evoluindo bem”.

Corbin entrou no circuito de shows com o apelido de “Mulher com 4 Pernas do Texas” quando ela tinha 13 anos; um de seus primeiros panfletos promocionais descreveu-a como sendo “gentil como o sol de verão e tão feliz quanto o dia é longo”.

Sua popularidade nesta indústria era tal que outros artistas passaram a exibir performances de quatro pernas falsificadas. Uma vez que a própria Corbin não estava mais se apresentando, várias falsas mulheres de quatro pernas apareceram. Aos 19 anos, ela casou-se com Clinton Bicknell.

Josephine myrtle corbin, a mulher com 4 pernas e família
Josephine Myrtle Corbin, a mulher com 4 pernas e família

Na primavera de 1887, aproximadamente um ano depois de se casar com Bicknell, Corbin engravidou pela primeira vez: a gravidez foi descoberta pelo Dr. Lewis Whaley, de Blountsville, Alabama, que foi chamado depois que Corbin começou a sentir dores no lado esquerdo, febre, dor de cabeça e um apetite reduzido.

Além disso, o médico observou que “vômitos e amenorreia persistiram por dois meses”. Whaley passou a escrever o caso para o Atlanta Medical and Surgical Journal, o que levou a um ressurgimento do interesse do público em Myrtle ao longo do final da década de 1880, agora conhecida em revistas médicas como “Sra. B”.

Examinando Corbin, Whaley descobriu que a duplicação de seus órgãos sexuais externos foi espelhada por uma duplicação semelhante internamente. Ele determinou que a gravidez Sra. B estava acontecendo no útero esquerdo.

De acordo com Whaley, ao ser informada de que estava grávida, ela respondeu em descrença, dizendo:

“Se estivesse no meu lado direito eu acreditaria e diria que você está certo.”

A partir deste comentário, os médicos entenderam que Corbin preferia ter relações sexuais pelo órgão que ficava no lado direito, e este fato foi comentado em vários relatórios subsequentes.

A gravidez fez com que Corbin ficasse gravemente doente, e depois de consultar os colegas, Whaley decidiu realizar um aborto oito semanas após seu exame inicial (ela estava, supostamente, entre três e quatro meses de gravidez na época). Ela se recuperou completamente, e o procedimento (assim como sua anatomia única), não a impediram de levar com sucesso futuras gestações.

Enquanto revistas médicas em toda a América e em todo o mundo voltavam suas atenções para uma Corbin agora madura, detalhes sobre sua personalidade revelaram um senso da própria mulher: um artigo observou que “A Sra. B…. a Myrtle Corbin de dias atrás, [é] atraente no rosto, fisicamente saudável, e capaz de atender a todos os seus deveres domésticos”, enquanto ela era descrita em outras notícias como sendo “muito inteligente” e “uma mulher refinada, de um bom gosto musical”.

Mundo Sombrio

Mundo Sombrio

Histórias de Terror, Lendas Urbanas, Creepypastas, Relatos Sobrenaturais, Vídeos e muito mais. Mundo Sombrio: O Melhor do Terror para Você!